Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Partilhar, partilhando

Aqui falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Partilhar, partilhando

Aqui falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Uma semana de férias no Centro do País - Lago Azul

O concelho de Ferreira do Zêzere tem várias praias fluviais resultantes da albufeira da Barragem de Castelo de Bode. Uma das mais visitadas é a Praia Fluvial da Castanheira ou Lago Azul como também é conhecida. É uma das atracções daquela zona do país. E fomos lá passar parte do dia. 

Ali existem vários desportos náuticos desde passeios de kayak, gaivota ou até mesmo a prática de windsurf. Tem uma piscina fluvial flutuante com vigilância e posto de primeiros socorros. Tem também um bar restaurante que serve de apoio à piscina. Na zona existem vários locais para alojamento, alguns ficam mesmo à beira do lago. Um lugar lindo a visitar.

Fiquem bem.

Mary S. 

IMG_0006.JPG

poster entrada.JPG

IMG_0010.JPG

20150618_105030.jpg

 

Uma semana de férias no centro do país - Dornes

Ficámos uns dias alojados em Ferreira do Zêzere para a partir daí explorarmos vários sítios que queríamos há muito conhecer ou a que queríamos voltar. Um dia foi dedicado a conhecer Dornes, uma aldeia ribeirinha que fica à beira do lago formado pela barragem de Castelo de Bode. Almoçámos peixe do rio e demos um belo passeio de barco. Vale a pena. A terra é pequena mas muito bonita. Ficam algumas fotos, espero que gostem e que fiquem com vontade de ir até lá.  É uma zona lindíssima e mais uma vez chamo a vossa atenção, porque não é suficientemente divulgada e vale a pena conhecer. A seguir irei mostrar o Lago Azul também na mesma zona.

Fiquem bem.

Mary S.

IMG_0007.JPG

 20150617_112959.jpg

 20150617_110423.jpg

20150617_122659.jpg

 20150617_121044.jpg

 

 

 

Uma semana de férias no centro do país - Castanheira de Pera

Continuando a contar sobre a nossa semana de férias no centro do país. Saímos de manhã do hotel em Pedrógão Pequeno e passámos pela Barragem do Cabril, depois Pedrógão Grande e fomos ainda à Praia Fluvial do Poço de Corga. Junto a esta praia existe um carvalhal centenário, um lugar de belas sombras e muito aprazível, tem um parque de merendas e o Museu “Lagar do Corga”, um antigo lagar de azeite movido a energia hidráulica.  

 

Praia fluvial Poço de Corga.jpg

   

Depois de Poço de Corga, fomos para Castanheira de Pera, para a Praia das Rocas, destino há muito escolhido pelos mais novos por causa da piscina de ondas. Divertiram-se bastante com as actividades que podem ali ser praticadas. Foi um dia em cheio para eles. 

Ao final do dia saímos pela agora tão falada Nacional 236-I em direcção a Figueiró dos Vinhos, o nosso destino era Ferreira do Zêzere que iria ser o nosso quartel general por uns dias. 

Fiquem bem.

Mary S.

 

20150616_104331.jpg

 

 

Um sítio inspirador

Janela aberta.jpg

 Imagem: Pinterest

 

Não sei se é da janela, da vista ou do conjunto, mas gosto deste sítio. Não sei onde fica, imagino que seja numa qualquer ilha do Mediterrâneo, quem sabe?

Quando penso em férias, lembro-me de uma vista bonita, um livro e o mar por perto. Acho que me sentiria muito bem neste lugar. É bastante inspirador. 

Por hoje é tudo, bom Domingo.

Fiquem bem.

Mary S.

Cozinhar em tempo de férias - #4 - Cogumelos à Bulhão Pato

 

3c638979aea0656ecd2b16a23ecbaa4a.jpg

Origem: Pinterest

 

Uma receita óptima para este tempo de férias. Costumo fazer como entrada ou como petisco nos finais de tarde. Pode fazer-se com todos os tipos de cogumelos, mas pessoalmente gosto de utilizar os cogumelos marron.

Outra dica de quem gosta de cozinhar coisas fáceis e gostosas. Fazer os cogumelos tal qual a receita, e depois juntar ao preparado qualquer tipo de massa que previamente se cozeu e se escorreu bem. Mexe-se para misturar os sabores, coloca-se numa travessa ou saladeira e serve-se. Segue a receita dos cogumelos.

 
Fiquem bem. 
Mary S.
 
 
COGUMELOS À BULHÃO PATO
 
1. Corte 300gr de cogumelos marron aos pedaços
2. A seguir leve a fritar em azeite 4 dentes de alho e algumas folhas de coentros picados. 
3. Refresque com ½ copo de vinho branco, mexa e deixe ferver para o álcool evaporar. 
4. Depois junte os cogumelos, tempere com sal, 1 malagueta e deixe cozinhar 5 minutos. 
5. Aproveite para cortar o pão que vai a acompanhar e os gomos de limão. 
6. Esprema umas gotas de limão na frigideira e mexa um pouco. 
7. Sirva com o pão a acompanhar e salpique com um pouco de coentros acabados de cortar.

 

Uma cama vestida de branco

 

Linda-Roupa-de-Cama-Branca.jpg

 

Ontem falei aqui de alfazema, porque andei a apanhá-la para pôr nos saquinhos que costumo ter nas gavetas da roupa de cama. Mas hoje venho falar de roupa de cama propriamente dita. 

No Verão, sobretudo depois de alguns dias de temperaturas elevadas a minha casa costuma ficar mais quente e torna-se difícil adormecer. É nestas alturas que faço sempre a minha cama com lençóis e fronhas brancas. Acho que fica mais fresca. Pelo menos a mim dá-me essa sensação. Por acaso já experimentaram?

Gosto muito de uma cama vestida de branco e hoje no Centro Comercial vi um conjunto lindo que me deixou rendida, mas a verdade é que não tinha ido lá para comprar lençóis, as compras eram outras, mas estive vai não vai. Tenho que me conter um bocado no que toca a roupa para a casa. É que tenho verdadeira paranóia.

Fiquem bem.

Mary S.

 

(foto Pinterest)

A apanhar alfazema

 

20170720_192752.jpg

 

 

Se há coisa que gosto é do cheiro da alfazema. Costumo tê-la em saquinhos dentro das gavetas onde guardo a roupa de cama.

Lençóis lavados e perfumados é uma sensação muito agradável, se o cheiro for a alfazema para mim ainda é melhor.

Por sorte há bastante perto de minha casa e hoje andei a apanhar porque as flores estão a começar a secar. Está na altura.  Todos os anos substituo a que tenho nos sacos por nova, assim o aroma vai-se sempre mantendo. 

Fiquem bem.

Mary S.

Também faço Panquecas

 

Panquecas americanas.jpg

 Origem da foto: Pinterest

 

Por aqui fazem-se panquecas há muito mas raramente para o pequeno almoço, sempre se fizeram como uma guloseima. De vez em quando alguém se lembrava. E se fossemos fazer panquecas? 

Não faço com esta ou aquela farinha especial, nem com estas ou aquelas sementes, costumo fazer as tradicionais e cada um depois acompanhe com o que lhe apetecer e que exista em casa.

Geralmente são feitas para o lanche, por encomenda dos mais novos, que além de gostarem de as comer, também gostam de ajudar. E eu não digo que não. Cá vai a receita.

Fiquem bem.

Mary S.

 

Preparação:

Misturo 2 chávenas de farinha de trigo, 3 colheres de sopa de açúcar, 1 colher de chá de fermento em pó e uma pitada de sal. Junto 2 ovos batidos, 1 chávena e ½ de leite e 3 colheres de manteiga derretida. Mexo bem.

Coloco uma frigideira antiaderente ao lume a aquecer. Tem de levar alguma gordura. A frigideira tem de ficar sempre untada. Deito a massa a cobrir o fundo. Utilizo uma concha pequena, serve-me de medida e ficam todas da mesma espessura. Têm de se virar para cozer dos dois lados. É bastante rápido. 

Podemos servi-las com mel, qualquer doce de frutas, geleia ou creme de chocolate de barrar. Este último é o preferido da miudagem. Por mim prefiro-as polvilhadas com açúcar e canela. 

Fiquem bem.

Mary S. 

Cozinhar em tempo de férias - #3 - Salada de Quinoa

 2010-09-farinha-quinoa.jpg

 

Antes da receita da salada, vou falar um pouco nas propriedades da semente dos Incas. É bastante nutritiva e saudável sendo originária da América do Sul. É um alimento completo, uma das melhores fontes de proteína vegetal, contém Magnésio, Ferro, Potássio, Fósforo, Zinco, Vitaminas B1,  B12, Niacina e Antioxidantes. Não contém glúten pode por isso fazer parte da alimentação de celíacos. 

Há três tipos de quinoa - a branca, a vermelha e a negra. Quanto mais clara mais suave o seu sabor. Antes de cozer, deve ser sempre bem lavada num passador em água corrente, porque as sementes estão cobertas por uma camada de saponima que é um pouco amarga. A quantidade de água necessária para a cozedura a que se junta uma pitada de sal, será o dobro do seu volume. Coze em 15 minutos até a água quase desaparecer. Fica crocante e tem uma aparência translúcida.  

Depois de cozida pode ser utilizada simples, como se fosse arroz, em saladas, sobremesas ou para adicionar nos iogurtes. 

Esta Salada de Quinoa, é inspirada no Tabule, uma salada muito conhecida no médio oriente, confeccionada com Bulgur ou Triguilho que costuma ser servida como entrada ou como acompanhamento de outros pratos.  Pessoalmente costumo fazer com quinoa quando estou a fazer dieta, serve-me de almoço ou de jantar. No Verão nos dias muito quentes é um prato muito refrescante e que sabe sempre bem. Poderá ser uma boa alternativa às saladas mais convencionais. 

Fiquem bem.

Mary S.

 

0403b8eb39d90fb3f6f9f092d75f83c9.jpg

Origem das fotos: Pinterest

Ingredientes

1 chávena de sementes de Quinoa, casca e sumo de 1 limão, 200 g de tomate cortado em cubos, sem pele nem sementes,1 cebola roxa média picada, 1 dente de alho picado, 3 colheres de sopa de salsa fresca picada, 2 colheres de sopa de hortelã fresca picada, 2 colheres sopa de azeite, 1 colher de chá de sal, Cominhos moídos a gosto.

Preparação

1) Num passador lavar as sementes de quinoa muito bem em água corrente, porque estão cobertas por uma camada de saponima, que deve ser retirada para que depois de cozida não fique com sabor amargo.

2) Leva-se a cozer em lume médio numa panela pequena. Para 1 chávena de quinoa, será necessário 2 chávenas de água. Coze durante 15 minutos, numa panela parcialmente tapada, até que a água evapore. Coloque a quinoa numa saladeira e deixe arrefecer.

3) Depois é só juntar todos os ingredientes à quinoa cozida, misturar bem e levar ao frigorífico durante algum tempo. 

Nota: Pode ainda fazer esta salada juntando pimentos verdes, vermelhos ou pepino cortados em pequenos quadrados, frango desfiado ou ovo cozido. Enfim, pode dar largas à imaginação.

 

Um mar roxo a perder de vista

As cores do Alentejo.JPG

 

Espaço a perder de vista, imenso e plano até onde a vista alcança. Ao fundo no horizonte o nosso olhar já não consegue distinguir as formas. Ficam difusas de tão distantes.

É por isso que gosto das planícies. Lembram-me o mar. Nele a água, aqui a terra.

Este mar de terra tem múltiplas mudanças. Pode ser vermelho de papoilas, amarelo dourado do restolho do trigo, verde quando as ervas despontam, branco ou amarelo de malmequeres ou pode ser roxo, como o vi e registei neste dia lá para o lados da Aldeia da Luz.

 

Fiquem bem.

Mary S.