Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Partilhar, partilhando

Aqui falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Partilhar, partilhando

Aqui falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Este céu que é o nosso

20160806_113347.jpg

 

 

Quando vou para fora, e quando o faço não tem sido por períodos longos, mesmo que venha de olhos arregalados pelas coisas bonitas ou diferentes que me foi dado ver, é sempre um bálsamo meter a chave à porta, entrar em casa, poder dormir na minha cama, de que sinto sempre saudades.

Gosto de voltar para o meu canto, para a minha casa e para esta terra que é minha. Já tenho ouvido dizer que podemos sentir como nosso verdadeiro lar, o lugar onde se habita em qualquer outro país. É possível, mas acredito que só quando se está verdadeiramente integrado no país escolhido, caso contrário, penso que nos sentimos sempre desenraizados, como se estivessemos a viver num tempo e lugar de passagem. Mesmo que dentro dos móveis estejam há muito arrumados os pertences, no subconsciente é como se as malas que levámos ainda estivessem por desfazer, prontas para o regresso a casa.

No entanto acho que seria capaz de viver no estrangeiro, se por circunstâncias várias a isso fosse obrigada, mas porque me conheço bem, tenho a certeza que estivesse onde estivesse, nunca iria sentir que ali era verdadeiramente o meu lar e que estava no meu canto.

Preciso disto. De tudo. Mas este céu que é o nosso, de azul intenso e o Sol, fazem-me muita falta.

Fiquem bem.

Mary S.