Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Partilhar, partilhando

Aqui falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Partilhar, partilhando

Aqui falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Que não se perca a afabilidade

20161009_120120.jpg

 

Tenho pensado numa forma de comportamento tão intrinsecamente tuga, que é o deslumbramento por tudo o que vem de fora, incluindo as gentes. É coisa nossa, antiga de séculos. Hoje em dia e ainda bem, já vamos dando mais valor ao que somos, ao que temos e ao que aqui se faz, porque na realidade não somos piores que ninguém. Todos os povos têm as suas virtudes e defeitos. 

Com os estrangeiros que nos visitam, temos desde sempre uma postura que quanto a mim, vai muito além da simpatia e afabilidade, por vezes roça a subserviência. E os nossos governantes, tão tugas como os demais, também não fogem à regra. 

Cada vez mais estrangeiros vêm à descoberta da Lusitânia, não em naus ou caravelas, mas sobretudo em inúmeros voos low cost. Devido a tão grande proliferação já começaram a soar vozes menos agradadas. Mas o turismo tem sido a mola vital da nossa debilitada Economia convém não esquecer. Tem sido o fortificante, um verdadeiro choque vitamínico. 

Se a invasão se estender no tempo, certamente acabará por alterar comportamentos, um deles será o complexo de inferioridade e subserviência, o que será muito positivo, mas espero que não se perca a afabilidade que é tão nossa.

Fiquem bem.

Mary S.

 

2 comentários

Comentar post