Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Partilhar, partilhando...

Falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Partilhar, partilhando...

Falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

12
Nov18

As Crónicas do meu blog - A melhor paella


Partilhar, partilhando..

Paella Barceloneta almoço.jpg

 

O dia tinha amanhecido impróprio para fazer turismo. Céu bastante carregado, chuva e vento. Justamente no último dia na capital da Catalunha, que estava destinado a conhecer Barceloneta, zona de praia, conhecida também por ter muitos restaurantes, onde me tinham dito que se comia bem. O tempo iria melhorar, pensei, nos dias anteriores tinha estado um tempo de quase Verão. Arrisquei.

Vesti um casaco que supostamente era impermeável, calcei umas botas, peguei no chapéu de chuva e saí do hotel rumo ao destino planeado. Tinham-me recomendado um bom restaurante para almoçar, cujo nome estava anotado no mapa da cidade que levava comigo, mas a chuva que nunca parou, quase o desintegrou. Comecei a descer as Ramblas e entrei no Cafè de l'Òpera, bebi um café, comi uns churros e deixei-me ficar um tempo a ver se a chuva passava, mas tal não aconteceu. Segui viagem.

Quando finalmente cheguei a Barceloneta, ia encharcada até aos ossos, quiçá até à alma. Um desconsolo. O chapéu de chuva ficou num caixote do lixo completamente esfrangalhado. Entrei no primeiro restaurante, porque o que queria era sair da chuva, enxugar-me e  aconchegar o estômago, por esta ordem. Escolhi paella e fui tratar de mim. 

Enquanto esperava, fui enxugar-me o melhor que me foi possível e comecei a sentir-me um pouco melhor. Chegou finalmente, a escaldar, com um aroma que adivinhava algo de bom. Comecei a comer e na verdade estava uma delícia. Foi a melhor paella que me lembro de ter comido. Seria porque, depois daquela odisseia estava num lugar confortável e abrigado, seria porque já tinha alguma fome ou porque na verdade estava particularmente bem feita? Talvez tudo junto. 

À medida que ia desaparecendo na frigideira, na proporção inversa eu ia ficando cada vez mais reconfortada e quente. Abençoada paella que me aqueceu e me fez renascer, não das cinzas, mas do desconforto de uma grande molha e do frio, num dia em que o mais sensato teria sido ficar no hotel. Pela janela do restaurante via que o tempo continuava sem o menor sinal de melhoria.

No regresso ao hotel enfrentei-o de táxi. 

Fiquem bem.

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Blogs Portugal

Quantos estão por cá

Visitas de fora

Flag Counter