Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Partilhar, partilhando...

Falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Partilhar, partilhando...

Falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Frutos de Outono - Romãs

granat_pri_diabete.jpg

 

A romãzeira (Punica granatum)  é originária do mediterrâneo oriental e médio oriente, onde é consumida como alimento e utilizada também para fins medicinais. É uma fruta de Outono, mas no final da estação estão mais maduras, quando depois de abertas, nos mostram os seus brilhantes bagos vermelhos, que parecem pequenas pedras preciosas. Talvez por isso e por ter no exterior uma coroa real, é considerada uma fruta rainha. Ao contrário do que acontece na maior parte das frutas, neste caso, comemos as suas sementes. Abrir e retirar-lhe todos os grãos, demora algum tempo, mas vale a pena. 

Na Antiguidade era considerada símbolo do Amor, Fertilidade, Sorte e Fortuna.  Hoje sabemos que são antioxidantes, ricas em cálcio, fósforo, potássio e  Vitaminas A, B e C, e que têm uma acção anti-inflamatória e purificadora do sangue. São indicadas nas dietas de emagrecimento por terem poucas calorias devido ao baixo teor de hidratos de carbono e sacarose. 

As sementes ou grãos, podem ser consumidos ao natural, secos, em sumo, xarope, pasta ou concentrado. Os maiores países produtores são, a Espanha, a Turquia e a Tunísia, no entanto as romãs do Afeganistão têm fama de ser as melhores do mundo. 

Em Portugal não tínhamos o hábito de cultivar este fruto em quantidade para comercialização, mas já existem algumas explorações no Alentejo e Algarve, embora com produções insuficientes para o mercado interno. 

Ainda não é muito utilizada na nossa culinária, mas os belos grãos coloridos, tornam requintada a mais simples das saladas. Experimentem.

Fiquem bem.

Mary S.

6 comentários

Comentar post