Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Partilhar, partilhando...

Falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

Partilhar, partilhando...

Falo de coisas minhas e coisas que vou vendo ou vou sabendo. O que gosto e o que não gosto. Falo de tudo e de nada!

02
Dez18

O Presépio de Alenquer


Partilhar, partilhando..

669389354_1280x720.jpg

 

Todos os anos, em Dezembro, e ontem mais uma vez foi cumprida a tradição, a encosta de Alenquer, ganhou novo colorido, com a iluminação do grande presépio. Desde 1968 que as figuras bíblicas da Virgem Maria, S. José, o Menino, os Anjos, os Reis Magos e também os pastores com as suas ovelhas, estão na colina que liga a parte baixa à parte alta desta vila.   

Hoje chamam a Alenquer, a Vila Presépio, ou o Presépio de Portugal, mas muito poucos saberão porque desde Dezembro de 1968 se começou a fazer este presépio de figuras monumentais, idealizadas pelo pintor Álvaro Duarte de Almeida, de acordo com a figuração da pintura portuguesa dos séculos XVI e XVII.  

Depois das dramáticas cheias de Novembro de 1967 que assolaram uma parte do concelho, mas com especial violência na parte baixa da vila,  onde se perderam vidas, casas, bens, todo o comércio da vila, as pontes que atravessavam o rio ficaram destruídas ou muito danificadas e as três fábricas que existam na época, ficaram durante algum tempo impedidas de laborar. 
Foi uma tragédia de que ninguém tinha memória que tivesse havido igual. Tendo Alenquer vivido desde sempre outras cheias, nada era comparável à grande cheia de Novembro de 1967.
 
Foi necessário muito trabalho de limpeza e remoção de destroços, para que se pudesse dar inicio à reconstrução. Foram feitos vários melhoramentos, de entre eles, toda a rede de iluminação pública na zona atingida, foram colocados novos candeeiros e foi instalada iluminação no exterior do edifício da Câmara Municipal e nos monumentos da vila. Aos poucos, as casas foram sendo recuperadas, livrando-as da cor da lama, que lembravam insistentemente a tragédia. A vila de Alenquer ia voltando à vida e ficava mais bonita.
    
Foi nesta onda de melhoramentos e embelezamento, que o vereador municipal,  D. José de Siqueira, propõe em Assembleia que se fizesse um presépio monumental, que seria colocado na encosta, um ano após as inundações. Na Câmara todos concordaram com a ideia, que  teve desde logo o apoio da população.
 
É por isso que até hoje se continua a fazer e os alenquerenses já não imaginam a quadra natalícia, sem que na encosta que liga as duas partes da vila, esteja bem à vista de todos, o bonito Presépio de Alenquer.
 
Fiquem bem.

9 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Dezembro 2018

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Blogs Portugal

Quantos estão por cá

Visitas de fora

Flag Counter